Pondera, Pandora, como se isto fosse um diário

Pondera, Pandora, como se trabalhasse para rever-se, inteira, neste diário

Um ou dois aforismos
Não sei explicar o motivo, mas sempre ouvi com um misto de curiosidade e desconfiança as pessoas que gostam de dar opinão introduzida mais ou menos assim: "como diz o poeta" ou "e como disse o outro". Apesar disso, coleciono alguns aforismos, cujos autores eu prefiro indicar a deixar no ar.

Teixeira de Pascoaes, por exemplo, tinha uns fantásticos: "Amar é dar à luz o amor, personagem transcendente"; "Só os olhos das árvores vêem a esperança que passa"; "Existir não é pensar; é ser lembrado"; "A indiferença que cerca o homem demonstra a sua qualidade de estrangeiro"; "Vivemos como num estado de transmigração para a nossa fotografia".

Ele viveu em Amarante! Pena que não se respire o mesmo ar nos dias de hoje...

O aforismo dele de que eu mais gosto, no entanto, entre os que saíram publicados pela Assírio & Alvim, traz o seguinte:

"A seara não pertence a quem a semeia, pertence ao bicho que a rouba e come".

Sendo homem da terra, do chão, dos cheiros da natureza, muito embora culto, eu só posso concordar. Para um espírito muito suave - a não ser quando sente-se desafiado -, esse tipo de sabedoria condensada é sem dúvida ensinamento.


terça-feira, 11 de outubro de 2011

"Eu não sei dançar tão devagar, pra te acompanhar"



O que a Marina Lima quer (ou queria) com essa música???




Com essa letra de música?




Claro que Não sei dançar tem outros versos, imagens até interessantes ("e tudo que eu posso te dar é solidão com vista pro mar", grifo meu), mas no geral termino de ouvir - conheço a música há tempos -, e me parece apenas... lamento.




Vai ver é isso, todo o mundo se lamenta de vez em quando, pra ver se convence um ombro amigo, se ganha um admirador. Mariana Alcoforado lamentou-se nas cartas ao francês! E eu as estudei...




De qualquer modo, gosto do que está no finalzinho da canção: "se você quiser, eu posso tentar".




E quem era mesmo que cantava alguma coisa parecida, algo como "eu não te completo, você não me basta, mas é lindo o gesto de se oferecer"?




São os Paralamas do Sucesso, de novo!




Gosto muito dos Paralamas. Tive um post que terminava com dois versos deles, mas a falta de habilidade me fez apagar o conteúdo. Caramba.




Pra encerrar sem concluir, aqui vão eles, os versos, mais uma vez, pra lembrar Herbert, Bi e Barone:




"Novas maravilhas pra se admirar

Não me venha com a velha dor".

12 comentários:

  1. Não faço idéia quanto à Marina e não quero concordar com o lamento.

    Sai um pouco da sua leveza, mas o post me lembrou o mistério de uma outra letra. O que queria o José Afonso com essa música?

    Era um redondo vocábulo
    Uma soma agreste
    Revelavam-se ondas
    Em maninhos dedos
    Polpas seus cabelos
    Resíduos de lar
    Nos degraus de Laura
    A tinta caía
    No móvel vazio
    Convocando farpas
    Chamando o telefone
    Matando baratas
    A fúria crescia
    Clamando vingança
    Nos degraus de Laura
    No quarto das danças
    Na rua os meninos
    Brincavam e Laura
    Na sala de espera
    Inda o ar educa

    Na voz da Cristina Branco eu consegui saber ainda menos...

    http://www.youtube.com/watch?v=cXxLN4Y3Ai8

    ResponderEliminar
  2. É... tá difícil, mesmo.
    Não conhecia a música. Ouvi-a pela net e continuei com uma ideia muito tênue do que ela diz...
    Acho melhor não arriscar!
    Do sentido da música da Marina eu desconfio, porque me é mais familiar.

    ResponderEliminar
  3. "Eu não sei dançar" tem a letra feita por Antônio Cícero. Poeta, escritor, compositor e irmão da Marina Lima. Filósofo formado na Universidade de Londres e em 1976, fez pós-graduação em filosofia na Georgetown Universit, USA.

    Muitos dos sucessos de Marina, são músicas cujas letras são do irmão.

    Cícero também tem vários outros sucessos na voz de Adriana Calcanhoto, Lulu Santos, João Bosco, Cláudio Zoli, Daúde entre outros. Ele também tem muitas parcerias com Wally Salomão e João Bosco.

    A frase "Às vezes eu quero chorar mas o dia nasce e eu esqueço", dá o tom da solidão no enredo da música, que nada mais é do que um sinal de alerta pra pessoa com a qual está se relacionando, além de ser um desabafo das insatisfações do relacionamento.

    "meus olhos se escondem onde explodem paixões / Os quartos escuros pulsam, pedem por nós" Já indica que a vida está acontecendo lá fora, outras pessoas pra conehcer e que trancado ali dentro de casa, naquele marasmo, tudo que ela pode oferecer "é solidão com vista pro mar".

    Nitidamente a pessoa "amada" tem um ritmo/estilo de vida bem diferente do dela, mais tranquilo, sem badalações, mas isso não é suficiente pra acabar com o relacionamento, e ela dá um toque, um sinal de que esse caso não vai durar muito tempo com a frase: "Se você quiser eu posso tentar, mas eu não sei dançar tão devagar pra te acompanhar". Onde se pode ler nas entrelinhas: Vou tentar entrar no seu ritmo de vida, mas não vai dar certo, sou inquieto, frenético, badalador!

    Abraços,

    Carlos Mendes Costa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Carlos, pela entrada. Já conhecia o irmão da Marina Lima, sim. Mas não sabia que ele estava presente na obra de tantos intérpretes... Acho que às vezes a gente devia prestar mais atenção ao autor das letras das músicas, até por uma questão de cultura geral! Na música cuja letra postei, o que me intriga é a mensagem em si. Lia nas entrelinhas, ok, mas era quase como não ter lido, por não acompanhar muito bem quem tem o raciocínio que a música expressa. Entende? Gosto de ouvi-la, só não compactuo : )
      Aliás, por falar nisso, tenho ouvido música e pensado no que traduz o meu próprio espírito ou a minha filosofia. Para mim, pelo menos, há muita música que difunde visões um tanto quanto redutoras das coisas. Não é um pedido para ter músicas mais duras ou mais densas. Ao contrário, acho que estou à espera de qualquer mensagem ao mesmo tempo otimista e palpável. Ou de um descontentamento não agressivo. Combina com Os Paralamas, por exemplo, embora nem sempre seja assim.

      Eliminar
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
    3. Essa canção não é parceria de Marina com seu irmão Antonio Cícero. "Eu não sei dançar" é uma pequena pérola de Alvin L. Pra quem não o conhece, ele dividiu os vocais com Marina em "Sugar", primeira música de trabalho de seu Acústico MTV.

      Eliminar
    4. Você é a segunda pessoa que me transmite essa informação. Mais do que na hora de verificar! Obrigada!

      Eliminar
  4. Essa música não é do Antonio Cicero e sim de um compositor chamado Alvin Neli.

    ResponderEliminar
  5. Essa música não é do Antonio Cicero e sim de um compositor chamado Alvin Neli.

    ResponderEliminar
  6. Pondera, eu só me liguei nessa musica da Marina Lima qdo comecei assistir os Dias Eram assim ,a Personagem tem HVI 1980 , feche olhos e se ponha no lugar da Personagem Nanda e escuta esta Musica eu não sei dançar tão devagar.......

    ResponderEliminar
  7. Estou assistindo OS DIAS ERAM ASSIM a Personagem Nanda contrai HIV no final dos anos 70 para anos 80 e esta musica fez todo sentindo para a situação , conheço a musica há muitos anos e qdo a ficha caiu me emocionei com a letra e a melodia triste ;eu não sei dançar ....

    ResponderEliminar
  8. Eu não tenho acesso à série! Estive em SP por alguns dias e vi alguns capítulos, mas foi só isso... Quando ela estiver em Portugal, vou experimentar o que me diz! Obrigada. Gozado é que este post acerca da música é o que me traz mais respostas

    ResponderEliminar